Fim de micareta

Ela saía do banheiro químico.
Abadá amarelo, negros cabelos cacheados e cheiro de urina.
Eu entrava no banheiro.
Camisa puída, cabelos despenteados e cheiro de conhaque São João da Barra.
“Muito obrigada! Agora é você!”.
“Tudo bem. Eu podia segurar”.
“Por que você me cedeu a vez!?”.
“Ora, baby, as damas primeiro”.
“Por que você me chamou de baby?!”.
“Não sei. Achei você bem charmosinha…”.
Ela sorriu e seguiu olhando para trás.
Crista negra de cabelos cacheados desvanecendo no ar.
Eu voltei para o conhaque.
Vida: seqüência de apostas até o Royal Straight Flush.

*Ao som de Mauro, Eu Mesmo e Eu – Velhas Virgens

Published in: on Agosto 8, 2010 at 8:15 pm  Deixe um Comentário  
Tags: , ,

The URI to TrackBack this entry is: https://naestradaaopordosol.wordpress.com/2010/08/08/fim-de-micareta/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: