Nada de bom acontece depois das 2h da manhã

Venho informar que o bar já está fechando, parceiro. Já são 3  e 14 da manhã e preciso ir pra casa dormir, mas tem um filho da puta que não quer ir embora do bar e acredito que não consegue ver mais ninguém aqui além de você e eu, certo?

Você diz que não te entendo? Quer apostar quanto como, em poucos minutos, farei o resumo de tudo aquilo que fez você beber. Não precisarei de muito, na verdade. A mulher que você quer não te quer mais, certo?

Certo.

Recebo tipos como você todos os dias por aqui. Como assim não sei nada sobre isso? Acha mesmo que não conheço essa estrada?

Tome, beba isso. Não irei trazer uísque, o bar fechou, mas podemos beber um pouco de Tequila como amigos que somos. Beba outra dose e pare de chorar. Nada me dá mais nojo do que ver um homem crescido chorando por conta de uma boceta que não irá mais comer, se é que algum dia você a comeu.

Não adianta dizer que ela é “a mulher da sua vida”, pois não é. Nunca foi. Nem será. Aposto como ela te trocou por outro cara. Sua cara de merda não nega que toquei bem aí onde dói. E pela quantidade de uísque que bebeu hoje, garanto que você foi atrás dela mesmo assim. Falou pra ela que essa seria a última chance de fazer isso dar certo, pediu que ela seguisse com você pela Estrada Trovejante, fazendo mil e uma juras de amor já que vocês dois nasceram para dar o fora desse lugar de perdedores. O problema, cowboy, é que perder-se ao longo da estrada é uma das conseqüências para aqueles que ousam se aventurar nos tortuosos caminhos das relações humanas. Num dia todas as garantias de que ela seria feliz contigo, no outro só restam às promessas do que um dia aquilo seria, seja lá o que isso signifique.

Novamente me pergunta como sei tanto sobre o amor. Pois te contarei meu segredo. Trabalho no lugar onde o amor termina. Todos aqueles que veem o amor chegar ao fim, cedo ou tarde, acabam entrando por aquela porta e desabafam com o seu melhor amigo ou com alguém disposto a ouvi-los. Agora que sabe o meu segredo posso te contar mais sobre o que irá acontecer contigo nos próximos dias. Você irá sofrer por um tempo, é normal. Mas irá passar. Não há tragédia grega que supere uma trepada homérica. Não há tristeza que resista a um boquete bem feito. É estranho pensar que pessoas já foram tão importantes na sua vida e agora são aleatórias. De vez em quando dá saudade. No entanto, um velho cliente me disse uma vez “o passado é uma roupa, que não nos serve mais” e é tendo isso em mente que você irá perceber que ela foi mais uma roupa que você não deve mais vestir. Assim como essa que está usando agora. Essas manchas de vômito e gordura não sairão facilmente.

Tudo não passa de um jogo. Sim, cara, um jogo. Não há injustiça alguma nisso. Entenda que a vida não é do jeito que você quer. Seria muita pretensão. Dessa vez você perdeu, mas não é por isso que irá desistir. O importante não é se você ganha o campeonato. E sim se você jogou mesmo debaixo de chuva, com o campo molhado e com a torcida contra. Não adianta falar que desistirá do amor. É impossível. Se bem que, se ficar procurando razões para não ficar com alguém, sempre irá achá-las… Talvez você deva dar ao seu coração o que ele merece. Não devemos resistir às tentações: elas podem não voltar.

Vamos, beba outra dose de tequila. Aproveite que é por conta da casa. Um pouco mais de bebida não fará mal. Se há outra coisa que a vida me ensinou é que não se desperdiça uma boa bebida, por isso te acompanharei nessa.

Esse mijo mexicano ainda vai acabar comigo.

Onde foi que paramos? Sim. O jogo. O maldito jogo é como uma rodovia. Você pisa na Estrada e, se não controlar seus pés, não há como saber até onde você pode ser levado. Há cada nova mulher encontrada, um novo dilema. Naquele momento poético em que é cedo demais pra sair, mas tarde demais pra começar a fazer qualquer coisa. Amar é um dilema. Amor sem dilema é amizade, e aposto que você não irá querer a amizade delas. A não ser que seja como desculpa para levá-las pra cama. E será nessa viagem que A Mulher irá aparecer. Será mais fácil identificá-la do que imagina.

Agora você irá me perguntar se conheci essa mulher. A resposta é simples: Eu conheci a mulher da minha vida. Já a tive em minhas mãos, mas nunca pude aproveitar desse amor. O pior é que ela sabe que sou o Homem da vida dela.  Ela é magnífica. Não adianta tentar descrevê-la. Só seria possível ter idéia do que estou falando vendo-a com os meus. Ela cheira como os anjos devem cheirar. A mulher perfeita. Até hoje sinto o seu perfume. Engraçado que conheci outras mulheres que usavam o mesmo perfume, inclusive o mesmo xampu, porém nenhuma delas conseguia me tirar o ar. Talvez o forte cheiro de cigarro em seus cabelos fosse o “elemento x”. Às vezes me pego pensando Nela e fico rindo com o canto da boca. Aquele riso gostoso e incontido, sabe?

Então tomei uma rasteira do destino e a vi ir embora sem poder fazer nada para detê-la. Talvez eu pudesse fazer alguma coisa. Talvez ela devesse ter feito mais. Talvez eu fosse só um amigo. Talvez não fosse o tempo certo para acontecer, talvez ainda aconteça. É então que te pergunto “existe tempo certo?”. Talvez. Ou Talvez tudo isso seja mentira. Talvez seja isso. E se for isso, que assim seja. Que seja um talvez, inconstante, pergunta, coisa sem finitude, um ciclo de não e sim, um perpétuo.

Por algum tempo pensei ter um pássaro preso no meu peito. E ele existia. E pensei que isso nunca iria acabar.

E até isso passou.

Hoje tenho outra garota. Ela é legal, gosta dos mesmos filmes bizarros que sempre pensei ser impossível alguém mais gostar. As pessoas costumam piscar e perder um momento. O momento que poderia mudar tudo. Não sei o que está acontecendo entre nós, e não posso dizer por que ela deveria gastar um pouco de fé em alguém como eu. Mas como o cheiro dela é bom, como o lar! E faz um ótimo café, isso tem que valer alguma coisa.

Aprendi que tudo não é nada e nada é bom. Pra entender que a vida é pra levar sem pretensão. Numa estrada livre pra usar a intuição. Sem medo de errar. Caras como eu estão ficando velhos, calçando seus chinelos, concluindo que não há mais tempo. Não adianta apenas sonhar. Sonho parece verdade… Quando a gente esquece-se de acordar. O dia parece metade… Quando a gente acorda e esquece de levantar. Sonhos bons. Exceto por serem só sonhos…

Resumindo, sou um eterno romântico, sou um eterno safado. Se você não entende isso deve estar morto por dentro.

Além do mais, acho que já bebemos demais por uma noite, apesar de já poder te desejar um bom-dia. Vá para casa e durma. Espero que da próxima vez dê certo e não quero te ver aqui nunca mais.

Ah, antes que eu esqueça. Seja bem-vindo à pedra que rola.

Ao som de Garçom – Reginaldo Rossi

Published in: on Setembro 11, 2011 at 1:39 am  Comments (2)  
Tags: , , , , , , ,

The URI to TrackBack this entry is: https://naestradaaopordosol.wordpress.com/2011/09/11/nada-de-bom-acontece-depois-das-2h-da-manha/trackback/

RSS feed for comments on this post.

2 comentáriosDeixe um comentário

  1. “Resumindo, sou um eterno romântico, sou um eterno safado. Se você não entende isso, deve estar morto por dentro”.

    Como eu te disse em particular, cowboy, poucas vezes a gente toca a fonte.
    Essa foi uma delas.

  2. […] O que eu não sei por que acontece é um pouco mais complexo do que aquela boceta não-comida. (“Se é que um dia você comeu”, como diria um amigo). O que eu não entendo é por que as pessoas não são livres. As que […]


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: