Morte

Morte, eu vou morrer.
Você também vai.
Eu sei.
Você sabe.
A diferença é o que vamos fazer no intervalo.
Eu e você, eu tenho um idéia…

Postado ao som de Adeus segunda-feira cinzenta – Zé ramalho.

Anúncios
Published in: on Novembro 28, 2011 at 11:03 pm  Deixe um Comentário  
Tags: , ,

o meio de todas as coisas

entre o fim do começo e o começo
do fim toda coisa tem uma massa
inerte feito ponte pela qual
passamos distraídos – ou não:
os astecas sentiam chegar o exato
momento do meio da vida – o meio
do meio da vida, o momento em que
o que já vivemos é exatamente
igual ao que ainda não vivemos
– e nesse momento preciso o mais
comum dos astecas sentia uma súbita
e inexplicável vontade de tomar um trem
mas como ainda não o tinham inventado
ele acabava por entristecer-se
(daí a tristeza, essa vontade de algo
que ainda não inventaram)

(A Partir de amanhã eu juro que a vida vai ser agora, 7Letras, 2008)

 

Ao som de The Times They Are A-Changin’ – Bob Dylan

“Você”

“É preciso que você se lembre que em toda a história do universo, você é o único ‘você’ que já existiu e que jamais existirá, que não há ninguém em toda a existência que é ‘você’, e ninguém jamais poderá ver o mundo como você o vê e que pode contar ao resto de nós como ele se parece. E pode ser algo tão diferente e tão bonito que mudará tudo.”

– Grant Morrison (27 de julho de 2008)

“Postado ao som de Strawberry Fields Forever do The Beatles aqui na versão do Oasis

Published in: on Novembro 21, 2011 at 10:04 pm  Deixe um Comentário  

O papa pode até ser pop… mas Jesus é Rock!

Há uma história sobre um tal de Jesus. Talvez já tenha ouvido falar alguma coisa sobre ele. Dizem que, por falta de vagas nos hotéis próximos à rodoviária, sua mãe acabou parindo no curral dos animais. E na falta de um berço decente, o pobre coitado teve que se contentar com o cocho dos animais se alimentarem. Há relatos também de que o casamento de seus pais aconteceu em meio a certas circunstâncias estranhas. Parece que o homem suspeitava que a gravidez de sua futura esposa era de outro. E isso era bem provável, pois ela ainda era comprovadamente virgem. Como diz o ditado: “família é tudo igual… só muda o endereço”. De fato, a inseminação artificial na época era DIVINA! (mais…)

Published in: on Novembro 2, 2011 at 11:36 pm  Comments (15)  
Tags: , ,