O papa pode até ser pop… mas Jesus é Rock!

Há uma história sobre um tal de Jesus. Talvez já tenha ouvido falar alguma coisa sobre ele. Dizem que, por falta de vagas nos hotéis próximos à rodoviária, sua mãe acabou parindo no curral dos animais. E na falta de um berço decente, o pobre coitado teve que se contentar com o cocho dos animais se alimentarem. Há relatos também de que o casamento de seus pais aconteceu em meio a certas circunstâncias estranhas. Parece que o homem suspeitava que a gravidez de sua futura esposa era de outro. E isso era bem provável, pois ela ainda era comprovadamente virgem. Como diz o ditado: “família é tudo igual… só muda o endereço”. De fato, a inseminação artificial na época era DIVINA!

Lá pelos seus 12 anos, o moleque espichava na altura e começava a pôr pra fora os ideais reacionários de seu pai (não o de criação, mas o que engravidara sua mãe antes do casamento). Ao invés de ir pro campo de futebol que ficava próximo ao local onde se crucificavam pessoas (na época as penitenciárias não eram muito populares… e o Ministério Público já era uma instituição falida), o cabinha insistia em perturbar os religiosos. Enchia todos eles de perguntas. E surpreendentemente, eles até gostavam. Digo que isto é surpreendente por que não se fazem mais religiosos como antigamente. Hoje em dia perguntas não são tão bem vindas. Principalmente se for sobre gastos de dinheiro nas igrejas, e em determinadas eclésias perguntar sobre a Bíblia é heresia… “né de Deus não”.

Então Jesus atingiu a maioridade civil! Seja lá o que isso queira dizer… e resolveu fazer uma turnê com sua banda pelas cidades próximas. Como loucura é algo magnético, rapidamente recrutou 12 integrantes. Na época era permitido montar bandas de rock com tantos membros. Hoje em dia, passou de 5, é considerado grupo de pagode. O nome da banda era “O Filho e os homens”. Só tinha um problema: ninguém sabia tocar nada. Mas Jesus era um cara persistente. Como todo bom brasileiro, estava decidido a não desistir nunca! Acabou que por um erro de pronúncia, a banda ficou conhecida como “Filho do homem”. Mas há certa justiça nisso, pois infelizmente a banda não era tão boa. Bom mesmo era o vocalista. Jesus arregaçava com tudo e com todos. As letras de suas músicas mexiam realmente com as pessoas. E curiosamente, não havia nada de tão novo. Fazia algo que os Engenheiros, leia-se Humberto Gessinger, fazem até hoje: citou textos históricos e amplamente conhecidos. E em meio à turnê, multidões começaram a se aglomerar. E graças a seus talentos vocais insuperáveis (desculpe Bruce Dickinson, mas Jesus era o máximo), ficou conhecido por Mestre.

A maioria das pessoas ignorava que o talento de Jesus foi descoberto por um famoso produtor chamado João Batista. Esse tal de Batista era um verdadeiro garimpeiro! Ele inclusive foi o idealizador do primeiro “Rock in Rio Jordão”, show em que Jesus se apresentou publicamente pela primeira vez. O show foi incrível. As pessoas ficaram atônitas, sem entender de onde vinha aquela voz celestial. Infelizmente o pobre Batista não pôde agenciar o Mestre. Como a maioria dos produtores musicais, acabou perdendo a cabeça e foi assassinado de maneira trágica.
Ao contrário do baixista (um tal de Judas), que em seu íntimo desejava fazer carreira solo num futuro próximo, Jesus queria que a banda perpetuasse sua musicalidade por toda a eternidade. E pra isso investiu pesado na formação de cada um dos integrantes. E dedicou-se com afinco durante longos 3 anos de turnê.

A turnê foi um sucesso absoluto. A fama de Jesus o precedia. Multidões aguardavam o Mestre nas entradas das cidades. E ele era muito amigável e simpático. Não recusava um autógrafo para nenhum de seus fãs. Mas fã é um bicho complicado. Hoje tá atrás de Jesus… amanhã já tá atrás do Calypso. Mas mesmo sabendo que a multidão não era fiel a suas músicas, Jesus continuava a cantar. E desafiava a cada pessoa que encontrava a também montar uma banda. Infelizmente, muitos são chamados, mas poucos escolhem para si este caminho.

Em vista da quantidade de interessados em sua musicalidade, Jesus organizou uma espécie de escola itinerante de música. Chegou a ter setenta alunos, que eram enviados de dois a dois para pequenos shows nas comunidades próximas. Os setenta voltaram de sua primeira apresentação com “sangue nos zóio”. Sentiram pela primeira vez o poder do Rock. Mas Jesus os advertiu que não se empolgassem pela multidão ou pela fama, mas sim por terem o privilégio de cantar músicas tão divinas.
Jesus era um cara estranho. Acho que o início das excentricidades desses caras de hoje tiveram início aí… mesmo podendo hospedar-se nos melhores hotéis, preferia dormir na casa de amigos. E nem eram amigos de longa data. A maioria eram pessoas conhecidas nas ruas, em meio à turnê. Coisa de rockstar mesmo.

E eu poderia contar dezenas de histórias inéditas sobre Jesus e suas incríveis façanhas. Mas o que realmente deve ser observado é sua atitude em, sendo o Deus do rock, se fazer acessível como um mero fã, para que todos nós possamos conhecer sua música. É para todo aquele que quiser, já pensou cara? É só querer…

Para se ler ao som de algo que te faça bem.

Published in: on Novembro 2, 2011 at 11:36 pm  Comments (14)  
Tags: , ,

The URI to TrackBack this entry is: https://naestradaaopordosol.wordpress.com/2011/11/02/o-papa-pode-ate-ser-pop-mas-jesus-e-rock/trackback/

RSS feed for comments on this post.

14 comentáriosDeixe um comentário

  1. Muito massa, rock é de Deus! eu amo rock e amo Jesus ele é meu idolo… Amei esse artigo,muito engraçado,edificante e sem blasfêmia parabéns!

    • Pois é… rock é pra todos. Gostei do “sem blasfêmia” no final do seu comentário, acho que você entendeu bem o meu propósito. Abraço.

  2. Quando o texto é bem escrito, eu bato palmas! No meio de tanta porcaria escrita na internet, esse aqui se salva (bem bíblico isso, haha)

    • Concordo contigo, mas neste blog especificamente sempre há coisas legais para serem lidas… obrigado pelas palavras.

  3. Muito bom cara! Emocionei… Parabéns!

    • Valeu!

  4. Muito legal.
    No comecei achei que uma crítica a Jesus mas no fim você usou as palavras cetas nas situações certas e eu acho que realmente é assim que todo Rockero enxerga Jesus!!
    Espero poder coisas legais e criativas assim como esse post!!
    Parabéns pois talento é cause uma divindade!!!

  5. Obrigado.

  6. Vejo q vc respondeu ao chamado… muito bom o texto, uma maneira bem legal de tocar o coração dos jovens. Como ja disseram… Emocionei!

    Parabéns!!!

    • Muito obrigado pelo comentário, legal demais ler isso. Abraço.

  7. Incrível, não sou de ler blogs mas este texto é excelente. Melhor do que estas asneiras que nós andamos lendo em revistas de renome nacional. Parabéns!

  8. adorei,apesar de nao acreditar em deuses,o texto é fictício mesmo.

    muito bem escrito e muito engraçado,parabéns!

  9. Parabéns kra muito bom texto!Foi mal ai Bruce.kkkkkkkk
    Continue escrevendo e eu vou divulgar seu blog

  10. Jesus so não foi um rockstar como também fundou o jackass. http://www.videolog.tv/video.php?id=731660


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: