Não Valeu a Pena

“Dizem que quando estamos para morrer, toda a nossa vida passa diante de nossos olhos.

Segundos antes da bala do revólver atravessar seu peito. Minutos antes que o condutor do automóvel não consiga frear a tempo. Horas antes da cirurgia de risco. Meses antes que o câncer consuma de vez seu malfadado cérebro. Um ano antes que a idade recaia com o peso da morte sobre seus ombros. Momentos cruciais, lembranças felizes, tristezas nunca superadas, pendências que nunca mais serão resolvidas.

Tudo isso volta, em um instante, para então partir pra todo sempre, para onde não há mais volta.

E, de repente, você percebe o quão fútil e covarde você foi. (mais…)

Anúncios

Confissão

Esperando pelo último suspiro
como um felino
que pulará
na cama enquanto estarei dormindo

Eu tenho muita tristeza
pela minha esposa
ela verá este
corpo
pálido
rígido
sacudirá uma vez
talvez
outra:

“Hank!”

Hank não
responderá.

Não é a morte certa que
me preocupa, mas é
deixar minha
esposa
com uma
pilha de
nada.

eu quero
que ela saiba
no entanto
que todas as noites
dormindo
ao seu lado

mesmo as discussões
mais inúteis
foram esplêndidas

e as difíceis
palavras
que sempre temi
dizer
podem agora ser
ditas:

Eu
te
amo.

Ele está entre nós.

O dia em que Tupac Shakur voltou dos mortos e caminhou entre os mortais.

Música do Vídeo:  Hail Mary

Acredite, é apenas um hábito.

Aqui estou, mais uma vez, acho que posso chamar isso de hábito, afinal vir parar na mesma praça, sentar no mesmo banco e tomar um copo de café, todos os fins de tarde desde que começou o ano. Bem, acho que fica melhor chama-lo assim do que perda de tempo.

O momento que o vento começa a soprar, esse é o segundo melhor momento deste monótono ritual, por que através do vento o aroma do café conquista todo o ambiente, e o melhor momento está na pausa longa que é dada entre os goles breves, e a longevidade de tais pausas não são feitas para saborear a calorosa e confortante bebida que é o café, mas sim para dar tempo das lembranças que carrego comigo surgirem na minha memória.

Ah, ótimas lembranças… Essas conseguem arrancar do meu rosto calejado um sorriso discreto, porém não tímido ou envergonhado. Infelizmente, a saudade é uma menina intrometida e mal criada que vai ganhando espaço tão simultaneamente quanto o sorriso vai sumindo da minha face.

Nesses momentos a saudade se vê obrigada a dividir espaços com momentos tempestuosos e obscuros. Eles têm o dom de deixar o café mais amargo que o habitual, e no próximo gole uma carêta cômica fica inevitável. Carêta que provavelmente faria aquela criança sorrir, se não estivesse entretido correndo atrás das folhas mortas que ganham vida com o sopro da brisa do fim de tarde.

Talvez seja estranho se identificar com tais folhas, na verdade o estranho é vir até aqui todas as tardes e ficar a esperar que meu passado permita-me sentir vida em mim.

No momento do último gole, que não é consumado, não pelo café ter esfriado por causa da brisa, sim por não querer perder a certeza das palavras que ecoam na minha mente tão cansada com o término de mais um dia.

– O pretérito perfeito não deixa sobras para o futuro.

Postado ao som de The Funeral de Band of Horses

Published in: on Abril 16, 2012 at 11:48 pm  Comments (1)  

O Despertar

Por incontáveis eras temos sonhado,
por infindáveis mundos temos vagado,
de infinitas escolhas temos sofrido.

O mundo estremece sob o conformismo sufocante,
as esperanças se esvaem nas chamas da mediocridade,
os heróis morrem na forca do orgulho.

O Armagedom está próximo.
A realidade é uma mentira.
A verdade é mágica.
Abre teus olhos… E desperta.

– Mage: The Ascension

Ai! Se sêsse!

Se um dia nós se gostasse;
Se um dia nós se queresse;
Se nós dos se impariásse,
Se juntinho nós dois vivesse!
Se juntinho nós dois morasse
Se juntinho nós dois drumisse;
Se juntinho nós dois morresse!
Se pro céu nós assubisse?
Mas porém, se acontecesse
qui São Pêdo não abrisse
as portas do céu e fosse,
te dizê quarqué toulíce?
E se eu me arriminasse
e tu cum insistisse,
prá qui eu me arrezorvesse
e a minha faca puxasse,
e o buxo do céu furasse?…
Tarvez qui nós dois ficasse
tarvez qui nós dois caísse
e o céu furado arriasse
e as virge tôdas fugisse!!!

– Poeta Zé da Luz

Preciso compreender

Preciso compreender
O que aqui sucedeu
Por que agora eu penso
No beijo que nunca ocorreu?

Fico parado sonhando
Em uma espécie de transe
Será só um desatino
Desse meu Vênus em Câncer?

Então levo
A pena sobre o papel
E transformo sentimento
Em verso talhado à cinzel…

– Henry Florean

Ao som de Moonshine – Gram

e

Me chama – Lobão

Published in: on Abril 8, 2012 at 12:28 am  Comments (1)  

[TRADUÇÃO] Light Of Day – Tommy Stinson

Clique na imagem do post para ouvir a música (youtube)

Luz do Dia

Nós sempre faremos isso durante o dia
Sempre haverá um caminho melhor
Sempre haverá o caminho de outra pessoa
Mesmo quando sabemos que fomos muito longe
Aproximar-se da borda é muito mais longe
Do que chegaríamos sem um carro
E todo mundo está procurando um lugar
Eles estão apenas matando o tempo em intervalos
Algumas noites eu desejo que o sol
Nunca mostre seu rosto

Você é tão linda à noite
A lua tem um jeito especial de iluminar você
O jeito que nenhum quadro poderia sequer retratar
Mesmo quando as estrelas começam a chorar
Nós rimos às custas de todo esse fracasso
Você nunca me fez sentir como se eu fosse uma aberração
E todo mundo está procurando algum espaço
Nós apenas estamos matando o tempo neste lugar
Algumas noites eu desejo que o sol
Nunca mostre seu rosto

Não quero encarar a luz do dia com ninguém
Como eu encararei a noite com você

Apenas observe todo mundo
Ninguém realmente sabe porque está aqui
Tentando desesperadamente não desaparecer
Não é preciso muito para fazer você dançar
Nós estamos atuando em uma espécie de cena
Com os dois pés esquerdos
Sem sequer cantar ou ouvir a melodia
E todo mundo está procurando um lugar
Eles apenas estão matando o tempo apressadamente
Algumas noites parece como se a lua fosse
Só uma luz sobre nossos túmulos

Não quero encarar a luz do dia com ninguém
Como eu encararei a noite com você

Para Morgana,
por todos os dias 11 desde o tráfico de drogas.

Dia da Mentira

Uma das explicações para o dia 1o de abril ter se transformado no dia da mentira, seria proveniente de uma brincadeira surgida na França. A brincadeira teve início no ano de 1564, quando o rei da França Carlos IX, decretou que o ano fosse iniciado no dia primeiro de janeiro, o que gerou uma confusão muito grande, pois não havia os meios de comunicação para propagação da nova data.

Desde o início do século XVI, o Ano Novo era comemorado no dia 25 de Março, data que assinalava a chegada da primavera. As festas tinham duração de uma semana e terminavam no dia 1o de Abril. Dia esse que, antes do decreto citado acima era reconhecido como início do ano e depois passou a ser conhecido como dia da mentira por motivo das brincadeiras que eram feitas para provocar risos. (mais…)

Published in: on Abril 1, 2012 at 12:41 am  Deixe um Comentário  
Tags: